O preço.

Havia tanta coisa a ser dita, tantas palavras implorando para serem despejadas, que no final ela se calou. Como sempre. Na esperança que a dedução se fizesse presente e interpretasse o que seu silêncio dizia, apenas seu olhar se propagou naquele marasmo. E ele, implorava para ser compreendido.

Para fazer o que era certo, era preciso deixar as coisas como estavam e ser a errada.

Era este o preço. E foi pago.


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s