Fear

Largou-se no sofá com um único pensamento: não pensar em nada. Deixar que o nada tomasse conta por um momento, ou mesmo vários. Quem sabe até eternamente. As coisas já tinham ultrapassado o limite conceituado por ele como aceitável e caminhavam para um lugar obscuro. Desconhecido…

Maior do que o medo que ele tinha de não se apaixonar, era o medo de se apaixonar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s